...

Fundamentos

Minha foto
Coronel Fabriciano, MG, Brazil
Se eu pudesse escolher entre viver e morrer, eu escolheria os dois. Viveria pra ser feliz, ser eu mesma. E morreria com a satisfação de saber, que eu fui alguém, alguém feliz!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Tá. Eu era do tipo em que contava os segundos pra ver alguém. Esperava que tudo desse certo e que um dia eu pudesse sorrir como antes. Percebi que tudo aquilo que eu sentia era como uma dor profunda que penetrava o meu coração e o machuva bastante, amar alguém assim, e saber que ele não sente o mesmo. Caramba, amar é complicado, " de certo que o amor, gera dor e rancor?" não vejo nem porque a interrogação, sendo que afirmações correm por toda parte do meu corpo, e vai do primeiro fio dos meus cabelos até a ponta dos meus pés, corre pelas minhas veias a certeza de que o amor só me trouxe dor, e MUITO rancor! E até que eu passei a acreditar que tudo que vem pra nós, vem pro nosso bem, por mais difícil que seje de acreditar que todo aquele tempo em que passei sofrendo foi bom. Bom sim, cresci e muito, sofrer nos faz crescer e acreditar em um novo recomeço, um recomeço de um futuro inovável, onde eu pudesse acreditar que amar ainda me fizesse bem, e eu pudesse sorrir como sempre sorri. E o que só fui perceber hoje é que embora TUDO tenha acontecido, eu sempre fui uma menina SORRIDENTE e feliz. E sabe o que o amor deve estar se queixando agora? Ha, ele nunca tirou o meu sorriso, tirou a minha paz, e deixou a dor. MAS NUNCA tirou o meu sorriso. E ele eu deixo com todos.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

REALIDADE DA JUVENTUDE.

Sinceramente
É incrível como é o desgosto das pessoas ao meu redor, elas não dão à mínima para o que tem, nunca valorizam. Outro dia eu escrevendo no meu blog como sempre, um amigo meu me criticou porque eu havia comentado em um dos meus posts que fico impressionada com tanta hipocrisia, e como as pessoas tratam suas vidas e o próprio ambiente, ele disse que não há porque eu me importar tanto com esses fatos que “pra ele” não é importante. Desde quando cometer suicídio, não ajudar o próximo, maltratar o meio-ambiente e ligar pro futuro não é importante?
O problema é que os jovens de hoje não ligam muito pros acontecimentos e pras mudanças que acontecem no planeta. Os jovens só se importam com a nova coleção de sapatos, o novo jogo, filme que lançará mês que vem e assim são. Mas sabe, eu me IMPORTO. Importo porque quero um mundo bacana, ideal pra se viver, e acho que se todos pensassem assim o mundo seria melhor e eu não faria a minha parte quase sozinha e não estaria aqui desabafando em um pequeno diário que um dia vai se decompor e engolir minhas palavras, vendo em noticiários violência, aborto, influenza A, e não me preocupava tanto assim em lavar minhas mãos com tanta freqüência, poderia estar mais feliz, conversando com meus amigos ou não me refugiando de um local pelo fato.
Essa é nossa realidade, se pensássemos melhor não acharíamos o planeta e nossa vida tão fútil a ponto de acabar com ele em questão de atitudes e minutos. Acho que eu deveria até me abrir-lhe e sair desse diário para abrir os olhos da minha geração ignorante que acha que consumir é “TUDO” e sorrir é “NADA”. Se não teens o que quer, roubam pra ter e acabam pior do que eram. Muitas vezes já vi muito gente humilde que se contenta com o que tem e vivem bem.
E se um dia eu tomar coragem juro que publico o meu diário.

GALERA ESSE TEXTO É UM TRABALHO DE ESCOLA, ONDE TINHAMOS QUE ESCREVER UMA PÁGINA DO DIÁRO... só pra entender mesmo, beijos!